Procrastinação: como evitar que o mundo digital adie sua vida

postado em: Todas as Notícias | 0

Pequenas atitudes para mudar o hábito de adiar tarefas continuamente, prejudicando a produtividade e a realização de objetivos.

Tenho me deparado com o termo procrastinar constantemente nas mídias, em debates, livros e artigos de revistas de diferentes segmentos. E fiquei pensando qual o motivo as pessoas, de um modo geral, passaram a incorporar a atitude que leva a adiar suas atividades. Inclusive aquelas tão importantes e essenciais para a concretização de certos objetivos, sejam eles profissionais ou pessoais.

Refleti um tempo sobre o assunto e percebi que esta atitude tem se tornado cada vez mais parte do cotidiano de muitas pessoas por causa da conectividade excessiva a qual fazemos parte.

A era da conectividade e o comportamento humano

A nova era digital tem afetado profundamente o comportamento humano, configurando as novas redes mentais que estabelecem variadas formas de conexões conceituais. Neste sentido, o tempo que se estabelece entre as pessoas e o meio digital deixa de ser percebido pelo usuário que se entretém aleatoriamente, guiado pelos fios condutores dos algoritmos previsto pela própria rede. É muito comum ouvir pessoas que passaram horas em uma rede social afirmarem que não perceberam o tempo passar. Pois toda a sua atenção está direcionada para a tela do celular, tablet ou computador, guiado pela necessidade criada pela própria rede para acessar numerosos links vinculados ao conteúdo original que se duplicam à medida que o interesse é estimulado como informações novas.

Este é um dos alertas que chama a atenção para o uso excessivo da internet e os prejuízos tanto nas relações pessoais e profissionais, como na perda de foco, produtividade e retenção de conhecimento. Este é um dos fatores que têm levado à procrastinação, e este é um dos pontos chave para trabalhar melhores formas de melhorar o comportamento dos procrastinadores inveterados. Sempre em busca de uma relação mais saudável consigo mesmo, com os outros e com o mundo digital que nos cerca. O principal objetivo aqui é evitar que os contínuos adiamentos não se tornem os motivos para frustrações futuras por não ter alcançado objetivos e sonhos.

Pequenas atitudes podem construir uma relação mais saudável com o mundo digital

Se você chegou até aqui, imagino que já tenha percebido o quanto o mundo digital tem direcionado a sua própria vida. Sabemos o quanto é difícil se desconectar por algumas horas, quando toda a nossa vida está atrelada ao celular não pela sua função original de fazer ligações, mas pelos seus aplicativos que facilitam a nossa vida. No entanto, se você tem percebido que suas tarefas tem sido adiadas por causa das horas improdutivas no celular, é possível começar a controlar sua relação o mundo digital.

Um primeiro passo é desligar o celular (desligar mesmo!) por alguns instante e refletir sobre o quanto seus comportamentos estão dependentes ao uso da internet. Sabemos que as nossas atividades profissionais, acadêmicas e pessoais estão submetidas à internet (e-mails, redes sociais, buscadores, aplicativos etc) . Logo, é preciso entender a dependência é uma condição que, caso não tenha controle, pode se tornar uma compulsão. Assim, é preciso avaliar claramente se os recursos que se utiliza na internet e o seu tempo de uso são de fato relevantes para sua vida pessoal e carreira.

Combinado a esta reflexão, deve-se ainda parar e pensar o quanto se tem deixado de lado a sua relação pessoal com pais, filhos, cônjuge, amigos (de carne e osso e não os virtuais), parentes, trocados por mais horas conectadas no celular. Perceba que tal comportamento pode afetar muito mais do que uma boa conversa ao redor da mesa após o jantar. A falta de atenção ás pessoas próximas pode desencadear sérios problemas de relacionamento, crises familiares, que podem afetar no desempenho de filhos e cônjuge.

Quando se percebe que um dos grandes empecilhos para a produtividade no trabalho ou nos estudos é mesmo a internet, a principal atitude a tomar é estipular um horário limitado para acessar as redes sociais. Esta é uma disciplina radical que ajuda incorporar o hábito de passar longas horas no mundo virtual.

Outra importante dica é limitar os acessos aos inúmeros links que as pesquisas sobre determinado assunto geram, pois desvirtuam o estudo sobre o tema principal. Esta é uma atitude muito comum, principalmente para os acadêmicos que sentem uma incrível curiosidade acerca dos temas paralelos à sua pesquisa. Eu admito, eu faço parte deste grupo. Durante minhas pesquisas históricas, a imensa rede de fontes documentais digitalizadas disponíveis nas maiores bibliotecas internacionais dispõe ao pesquisador uma riqueza de dados e informações imensuráveis. No entanto, é preciso ter o cuidado e foco necessário para evitar a perda de tempo acumulando informações que não serão úteis para a pesquisa.

Para algumas pessoas, pequenos ajustes na rotina podem não ser suficientes. Adeptos ao mindfulness e do essencialismo recomendam um detox digital que consiste em passar, pelo menos, uma semana sem celular. Esta atitude que pode ser considerada radical nos dias atuais é uma excelente forma de perceber que a vida segue bem sem a necessidade verificar a toda hora as notificações de postagens, sem as constantes selfies. Claro que esta atitude radical passa longe de quem precisa estar atento aos likes e mensagens de clientes deixados nas redes sociais da empresa, e aqueles que precisam estar com frequência nas redes, pois dependem da popularidade de seu perfil no mundo digital.

Contudo, cabe, de tempos em tempos, realizar uma organização mental de suas próprias atitudes. Uma reavaliação para separar o que é importante, essencial e necessário do que não é. Muitas pessoas podem não perceber que têm adiado importantes decisões, mudanças de atitudes, concretização de tarefas e objetivos. E não é incomum só perceberem o tempo desperdiçado depois de um certo tempo quando o time já passou. Quando é preciso ajustar a rota, tudo bem. Mas nem sempre é possível corrigir o passado. Atenção consigo mesmo é a melhor atitude para se tomar para se sentir feliz e realizado, sem aquela sensação do peso de pendências que se carrega.

 

Fonte:  Danielle Lacerda, www.administradores.com.br